segunda-feira, julho 9

Pressão


Com o número de atentados bombistas a não dar mostras de diminuir, a pressão sobre os Republicanos no Congresso Americano é cada vez maior para alterarem a sua estratégia de apoio à Administração Bush no Iraque. O Senador Lugar deu o mote na semana passada, ao colocar em causa a estratégia, referindo que não parecia estar a dar os resultados pretendidos.

Todos compreendem que a partir do momento em que se cria um impasse num conflito como o Iraquiano, e quando é implementada uma estratégia que será avaliada em Setembro pelo Congresso, é de esperar que os ataques se intensifiquem de modo a que os resultados dessa ofensiva sejam mínimos. Mas a enorme pressão da opinião pública está a deitar por terra a pouca paciência de alguns proeminentes senadores republicanos que apoiavam Bush. Aproxima-se uma frase crítica para o Iraque. As dúvidas que começam a aparecer no Senado republicano já estão a ser levadas muito a sério tanto no Iraque como no Capitólio.

No Congresso, o Senador Reid prepara-se para apresentar nova proposta, sentindo que é capaz de ter a maioria de 60 votos necessários para conseguir uma retirada de tropas.

Entretanto no Iraque, a classe política já teme o pior. O Ministro dos Negócios Estrangeiros Iraquiano já veio avisar: "This could produce a civil war, partition of the country and a regional war. We might see the country collapse", bem como um conselheiro do PM Iraquiano: "We in Iraq believe, not just the government, but all political parties, that the presence of these forces is necessary to prevent increasing violence and to stop the country sliding into civil war".

Os democratas criticam este cenário, dando a entender que a retirada das tropas colocará a pressão necessária para que as várias facções políticas cheguem a acordo em diversos temas importantes, nomeadamente a divisão dos dividendos provenientes do petróleo, e acima de tudo, para que garantam a estabilidade do país. Será que estão mesmo dispostos a tal?

2 comentários:

Clavis disse...

Na verdade, e sendo uma parte muito importante da acções da resist~encia vindas da Al Qaeda no Iraque, a retirada de grande parte das forças terrestres no Iraque teria necessariamente que abrandar o nº de ataques... resta a violência sectária, mas essa... é questão iraquiana, e só se resolverá... com a divisão do país, por muito que isso desagrade à Turquia e agrade ao Irão!

Euroliberal disse...

"We in Iraq believe, not just the government, but all political parties, that the presence of these forces is necessary to prevent increasing violence and to stop the country sliding into civil war"

Quem diz isto não é iraquiano, mas um TRAIDOR COLABORACIONISTA que será melhor sair com os terroristas cruzados...porque senão...

Lembremo-nos que a posição oficial do governo iraquiano (do PM) é a de que as tropas de ocupação podem sair o mais rapido possível...