sexta-feira, março 30

Pequenos Grandes Monstros


O editorial de hoje de José Manuel Fernandes no Público coloca o dedo na ferida. A verdade é que com um simples cartaz numa rua de Lisboa, o PNR conseguiu a atenção de todo um país, de norte a sul.

A discussão que decorreu no parlamento foi, como se previa, no sentido de ponderar a ilegalidade da mensagem do cartaz e se no futuro não se deveria aprovar legislação para impedir este tipo de mensagens. Esta linha de pensamento e de acção constituiu um erro. As ideias extremistas veiculadas num cartaz, não nos devem sujeitar a entrar no campo da proibição. Que se critique, que se debata e que se mostre como posições daquelas não são compatíveis com os nossos princípios. Arrumar o assunto escondendo-o, é a pior estratégia que pode ser desenvolvida. É que para além de continuar a dar mais publicidade ao grupo, um dia descobrimos que aquele mísero cartaz transformou-se num pequeno monstro, sem que nós nos tenhamos dado conta disso.

1 comentário:

O LEÃO DA ESTRELA disse...

O Partido Nacional Renovador tem todo o direito de se manifestar, sendo condenáveis as tentativas de destruição do “outdoor”. E nós temos todo o direito de afirmar que esses senhores fascistas do PNR não regulam bem da puta da cabeça. Por uma razão essencial: é que esta campanha contra os imigrantes não faz o mínimo sentido num país de navegadores e com gente espalhada pelo mundo inteiro.