sábado, abril 14

Giuliani, Rudy


Independentemente da minha enorme simpatia por Giuliani, bem expressas na quantidade de posts que faço sobre o ex-Mayor de Nova Iorque, tenho que reconhecer quando a campanha deste está menos bem.

Encontrar um político com as ideias e a visão que Rudy Giuliani tem para o mundo, e em especial para a América, não é comum. As suas qualidades à frente da maior cidade dos EUA, transformando-a naquilo que é hoje, demonstram bem o seu valor. Ao contrário de outros candidatos republicanos, Giuliani pode afirmar que as suas credenciais conservadoras, não são apenas ideias, mas sim políticas que ele levou a cabo, com sucesso, em Nova Iorque. A projecção global que lhe conferiu os ataques terroristas de 11 de Setembro, deram-lhe uma visibilidade e imagem únicas no país.

Se é verdade que Giuliani necessita de ultrapassar a difícil barreira da nomeação republicana, num partido que ainda aspira por um true conservative (será Thompson?), isso implica um bom confronto de ideias com os outros aspirantes à nomeação. Tenho estado muito atento aos candidatos republicanos, às suas ideias e aos seus discursos. Embora considere Giuliani o republicano ideal, tenho que reconhecer que os seus adversários têm criado uma campanha mais eficaz em termos de "agenda política". O campeão neste ponto é claramente Mitt Romney. Já perdi a conta ao número de discursos que o candidato fez, onde explica detalhadamente quais deveriam ser, segundo a sua opinião, os eixos da política externa dos EUA. McCain, na última semana, iniciou um conjunto de discursos pelo país sobre política externa, aliás, o tema por excelência desta campanha.

Rudy Giuliani começa a ficar para atrás neste aspecto. As suas credenciais são inegáveis, todos o reconhecem. Porém, está na hora de apresentar alternativas, métodos e planos. Numa corrida onde todos os candidatos defendem uma maior independência energética, não basta publicitar a ideia . É preciso explicar como poderemos atingir esse objectivo. Com mais investimento em etanol? Com o recurso ao nuclear ou outras energias? Numa campanha, cujo final ainda está a 10 meses de distância (as primárias), os títulos não vão aguentar muito tempo. É necessário começar a pensar em planos.

2 comentários:

HO disse...

"Encontrar um político com as ideias e a visão que Rudy Giuliani tem para o mundo, e em especial para a América, não é comum."

Quais são, para lá da retórica vaniloquente?

"Giuliani pode afirmar que as suas credenciais conservadoras, não são apenas ideias, mas sim políticas que ele levou a cabo, com sucesso, em Nova Iorque."

Quais credenciais conservadoras? Uma abordagem dura e realista do crime não faz um conservador. Aliás, ela já se tinha iniciado em NY antes de ele ser mayor.

"O campeão neste ponto é claramente Mitt Romney."

Também é campeão em outros, menos recomendáveis.

"As suas credenciais são inegáveis, todos o reconhecem."

Que credenciais, exactamente?

"Porém, está na hora de apresentar alternativas, métodos e planos."

Para quê? Só lhe complicará a vida. Ele apresentar-se-á com um supply-sider, campeão das baixas de impostos e esse é o único flip-flop a que se pode permitir (a meu ver, faz bem em continuar a defender o federal funding dos abortos a pedido, por exemplo - num prisma de táctica eleitoral, claro). Quanto mais ideias se discutirem pior para ele. E, enfim, ele nunca se distinguiu particularmente pelo brilhantismo intelectual.

Bruno Gonçalves disse...

HO,

antes de mais, obrigado pelos comentários. Creio que é a tua estreia neste meu pequeno blog. ;)

"Quais são, para lá da retórica vaniloquente?"

São todas aquelas razões que te levaram, n'O Insurgente, a afirmar que os liberais clássicos tinham o seu candidato em Giuliani. Quando referi as qualidades de Giuliani, não me referi, obviamente, apenas às suas ideias políticas mas também sociais. Creio que a sua personalidade, torna-o uma figura de liderança e carisma, não muito comuns na América. Quanto à retórica, não percebo porque vais por aí. Acusas de ele ser socialista, gostaria de saber porquê. Retórico, em quê?

"Quais credenciais conservadoras? Uma abordagem dura e realista do crime não faz um conservador. Aliás, ela já se tinha iniciado em NY antes de ele ser mayor."

Até podes ter razão. De qualquer das formas, tal não invalida o seu "record" em NY. As suas credenciais não se resumem apenas no combate ao crime, mas também nas suas políticas fiscais, na elaboração do orçamento. NY tinha um enorme défice quando Giuliani lá entrou, as contas e a administração estavam um descalabro. Será que não concedes nenhum benefício de dúvida às alterações radicais que Rudy protagonizou em NY?

"Também é campeão em outros, menos recomendáveis."

True. Não sei se entendi bem os restantes, mas creio que percebi a ideia.

"Que credenciais, exactamente?"

Ao contrário dos restantes candidatos, julgo que Giuliani tem as credenciais mais convervadoras dentro dos republicanos. Bem sei que não concordas comigo, no que respeita em particular ao McCain, mas continuo na minha linha... De resto já respondi em cima.

Por último, julgas que a sua popularidade irá manter-se nestes valores durante 10 meses até às primárias, com os outros candidatos a veicularem as mesmas ideias, bem mais elaboradas? Mesmo a ser verdade, eu já olho a longo prazo. A nomeação é apenas o início! Mais cedo ou mais tarde, terá de haver o confronto de ideias. Julgo que ficar para trás na matéria no seio do GOP, não abona a favor de Giuliani, mas esta é a minha opinião.

Quanto ao federal funding dos abortos a pedido, eu julgo que ele deve ser coerente, como tal, não tenho nada a acrescentar. Ele tem consciência que este é um major issue na campanha, mas todos os candidatos têm falhas. Como digo no post, nesta corrida não existe um true conservative. Caso Thompson não decida entrar na corrida, os seus apoiantes quase certamente, dirigem-se para Giuliani... Até agora, julgo que ele tem lidado muito bem com o problema.

E por fim,

"E, enfim, ele nunca se distinguiu particularmente pelo brilhantismo intelectual."

Correcto. Porém, também é verdade que nunca necessitou de tal. Aliás, esse é um grande trunfo para esta campanha - o sentido prático das suas ideias. Se é capaz de mais? A ver vamos.