domingo, maio 6

DSK sobre a derrota do PS


Dominique Strauss-Kahn, dispara para o interior do PS:

"Les Français ne veulent pas qu'on leur sorte des solutions qui ont 20 ans", ajoute-t-il, plaidant "une rénovation sociale-démocrate" dans le but de faire émerger "une gauche moderne".

(...)

"Jamais la gauche n'a été aussi aussi faible au premier tour, répète-t-il. Pourquoi ? Parce que la gauche française n'a toujours pas fait sa rénovation."

Está claro que o PS está num caos político e ideológico. DSK, e bem, ataca o verdadeiro problema. O PS francês é o último reduto de uma esquerda velha e bolorenta, com as mesmas ideias e o mesmo programa desde há 20 anos. Quem acha que o PS estará todo alinhado atrás de Royal ou Hollande para as próximas legislativas, engana-se. Nos próximos dias haverá luta. Muita luta. A derrota de Jospin em 2002 parece que não ensinou nada ao PS. Veremos se com esta derrota o PS tira as conclusões necessárias. Uma coisa é certa: o UMP de Sarkozy pode (e deve) aproveitar o estado calamitoso em que se encontra o PS francês.

2 comentários:

Luis Gaspar disse...

realmente é um escândalo que a esquerda em frança continua a ser de esquerda e anti-liberal. isto esquerda que é esquerda é liberal. e a direita também. aliás, o problema disto é termos ainda ideias preconceituosas da democracia. para quê eleições? para quê mais que um partido, se um partido liberal chegava? temos que rever estas ideias bolorentas que só estão a atrasar o desenvolvimento económico.

Bruno Gonçalves disse...

Luís,

Tu sabes tão bem quanto eu o que quis dizer no texto. Hoje em dia, a direita e a esquerda não diferem muito na economia. Felizmente. O facto de um programa mais liberal na economia, não ser exclusivo da direita, demonstra o pragmatismo da esquerda actual, ou melhor, da maioria das esquerdas europeias.

Um partido liberal não chega, pois existem sempre ideias em confronto. E ainda bem. Mesmo no seio das políticas liberais existem diferenças.

Este PS francês é o cúmulo do velho socialismo. Tu, que conheces bem a realidade do New Labour, nem sei como não consegues aperceber-te do fosso que existe entre os dois lados do Canal da Mancha.

Mas como é óbvio, és livre de continuares a defender este PS, estas mesmas ideias, e tudo o mais. És livre de não defender ideias que promovam o desenvolvimento económico, como é certo. Felizmente, deixa-me acrescentar, a grande parte da esquerda não pensa assim. Porque o social não é incompatível com o liberal, como adoras apontar.

Por fim, os meus pêsames pela tua candidata...